COLUNISTAS

Existem crianças encantadas pelo circo. Este carioca da gema era completamente apaixonado pelos resultados inesgotáveis que a combinação de sete notas musicais podem proporcionar. São paisagens, texturas, cores, odores que fazem a gente viajar para longe. Músico frustrado que apanhou (muito) de guitarras e baixos elétricos, preferiu deixar esta paixão fluir por meio de textos jornalísticos sobre cantores, instrumentistas e compositores. Músico frustrado que apanhou (muito) de guitarras e baixos elétricos, preferiu deixar esta paixão fluir por meio de textos jornalísticos sobre cantores, instrumentistas e compositores.
Felipe Lucena é jornalista, roteirista e escritor, sobretudo, cronista e tem uma vontade crônica de escrever, quase compulsivo. Na coluna, vai publicar crônicas semanais dos mais variados estilos. Afinal, cabe tudo em uma crônica. Fiquem à vontade.
Tijucana raiz, casada com e mãe de um botafoguense, pescadora nas horas vagas. Formada nas mais nobres instituições brasileiras Colégio Pedro II, UFRJ e UERJ. A despeito do serviço público, encontrou na consultoria de estilo sua verdadeira paixão. Acredita que imagem é o cartão de visita de qualquer pessoa, e que deve refletir seu momento de vida!
Carioca da gema, pedagoga de formação e artista por transgressão, vem fazendo da pintura e da escrita sua maior forma de expressão e comunicação com o mundo. Falar sobre o que a sociedade quer varrer pra baixo do tapete é sua maior realização.
Sou carioca, graduado em História, com mestrado em Serviço Social e doutorado em História. Professor da rede pública, acredita em uma sociedade que respeite as diferenças e busque a garantia de direitos a todos. Uma sociedade baseada na Declaração Universal dos Direitos Humanos.
Sou carioca, morador do Grajaú, compositor, músico, arranjador, professor e pesquisador de música, instrumentos de corda e de discos. Um visceral contemplador da existência, que acredita que a arte, particularmente, a música, é a mais natural e eficaz ferramenta de comunicação e integração. E que pode nos fazer perceber, novamente, humanos e nos tornar dignos do planeta que habitamos.
Apaixonada por arte, dança, teatro, cinema, música e pela vida, arquiteta e produtora cultural, encontra nas palavras escritas a melhor forma de se expressar. Mulher mais sortuda do planeta: 2 filhos maravilhosos e um grande amor são fonte inesgotável de inspiração!
Ricardo Dias é carioca. Nessa vida já foi tudo, palhaço, carpinteiro, seresteiro, vagabundo e plagiador de música antiga. Escreve bobagens, tolices, platitudes, tolêmias, desatinos, disparates e tontarias. É, majoritariamente, do contra. Belo, sem exageros desnecessários. Um pouco acima do peso.
Depois de cursar alguns anos de jornalismo encontrei na gastronomia os temperos que buscava para a vida. Mergulhei fundo neste universo e como Chef continuo explorando novos sabores, cores, texturas. A coluna Tá na mesa traz algumas receitas que aprecio e aproveito para dar dicas das minhas experimentações.

PORTAL INDICA

Incessante busca por novos instrumentos e sons

Estes dias, recebi um vídeo de um músico tocando um serrote. Sim. Destes que temos em casa para consertar as coisas. Era tocado com...

As mulheres e a cultura do estupro

Não consigo precisar quando e porque a “cultura do estupro” se instalou em nossa sociedade. De certo o machismo entranhado nas mais variadas camadas...

Elza Soares, Senhora da Terra toda

No carnaval da Sapucaí deste 2020, antes do mundo parar, o samba da Mocidade Independente de Padre Miguel já avisava em alto com som:...

(Re)volta dos carros

No início da pandemia, as grandes cidades passaram a ter um fluxo de carros bem menor que o habitual. Esse fato levou a índices...

O Maraca é nosso?

No clima de aniversário do Maracanã, lembro de uma história. Três meninos, negros, camisas de escola pública, bermudas e tênis velhos, cerca de 10...

Freud, Kinsey e a sexualidade humana

A sexualidade humana sempre inspirou pensadores, escritores, pesquisadores e uma gama enorme de leitores. Há pouco mais de um século, Sigmund Freud, chocava a...

Fogo Cruzado em notas musicais

Em meio a tanto fogo cruzado, ficamos na dúvida sobre o que pensar, que opinião ter a respeito de alguém ou de algo que...

Kamasutra, o encantamento do Manual do Amor

Escrito por um nobre sábio indiano chamado Vatsyayana, o intuito era orientar os homens nobres em seu desempenho sexual. O livro recebeu este nome...

Sair na rua me deu onda 

Lembram do funk “Deu Onda“? “A sua presença me deu onda…”. Na ausência da quarentena, sair na rua me deu onda. Botar o pé...

Percepções diferem tanto a arte quanto o artista

Conta-se que um conhecido de Olavo Bilac teria tido necessidade de vender um sítio, que só lhe gerava gastos, e teria pedido ajuda ao...