COLUNISTAS

Existem crianças encantadas pelo circo. Este carioca da gema era completamente apaixonado pelos resultados inesgotáveis que a combinação de sete notas musicais podem proporcionar. São paisagens, texturas, cores, odores que fazem a gente viajar para longe. Músico frustrado que apanhou (muito) de guitarras e baixos elétricos, preferiu deixar esta paixão fluir por meio de textos jornalísticos sobre cantores, instrumentistas e compositores. Músico frustrado que apanhou (muito) de guitarras e baixos elétricos, preferiu deixar esta paixão fluir por meio de textos jornalísticos sobre cantores, instrumentistas e compositores.
Felipe Lucena é jornalista, roteirista e escritor, sobretudo, cronista e tem uma vontade crônica de escrever, quase compulsivo. Na coluna, vai publicar crônicas semanais dos mais variados estilos. Afinal, cabe tudo em uma crônica. Fiquem à vontade.
Tijucana raiz, casada com e mãe de um botafoguense, pescadora nas horas vagas. Formada nas mais nobres instituições brasileiras Colégio Pedro II, UFRJ e UERJ. A despeito do serviço público, encontrou na consultoria de estilo sua verdadeira paixão. Acredita que imagem é o cartão de visita de qualquer pessoa, e que deve refletir seu momento de vida!
Carioca da gema, pedagoga de formação e artista por transgressão, vem fazendo da pintura e da escrita sua maior forma de expressão e comunicação com o mundo. Falar sobre o que a sociedade quer varrer pra baixo do tapete é sua maior realização.
Sou carioca, graduado em História, com mestrado em Serviço Social e doutorado em História. Professor da rede pública, acredita em uma sociedade que respeite as diferenças e busque a garantia de direitos a todos. Uma sociedade baseada na Declaração Universal dos Direitos Humanos.
Sou carioca, morador do Grajaú, compositor, músico, arranjador, professor e pesquisador de música, instrumentos de corda e de discos. Um visceral contemplador da existência, que acredita que a arte, particularmente, a música, é a mais natural e eficaz ferramenta de comunicação e integração. E que pode nos fazer perceber, novamente, humanos e nos tornar dignos do planeta que habitamos.
Apaixonada por arte, dança, teatro, cinema, música e pela vida, arquiteta e produtora cultural, encontra nas palavras escritas a melhor forma de se expressar. Mulher mais sortuda do planeta: 2 filhos maravilhosos e um grande amor são fonte inesgotável de inspiração!
Ricardo Dias é carioca. Nessa vida já foi tudo, palhaço, carpinteiro, seresteiro, vagabundo e plagiador de música antiga. Escreve bobagens, tolices, platitudes, tolêmias, desatinos, disparates e tontarias. É, majoritariamente, do contra. Belo, sem exageros desnecessários. Um pouco acima do peso.
Depois de cursar alguns anos de jornalismo encontrei na gastronomia os temperos que buscava para a vida. Mergulhei fundo neste universo e como Chef continuo explorando novos sabores, cores, texturas. A coluna Tá na mesa traz algumas receitas que aprecio e aproveito para dar dicas das minhas experimentações.

PORTAL INDICA

Operário em frente ao mar

Os ônibus dançam nas curvas da orla da cidade do Rio de Janeiro. Quem nunca quis dançar descalço na areia do Rio que atire...

Começa pela cabeça

Já que é pra começar, vamos da capo! Da cabeça, em italiano. Na música escrita, vemos muito este idioma. Possivelmente, porque na época em...

A ignorância é realmente uma benção?!

Acho muito curioso como qualquer definição, atualmente, é uma faca de dois gumes. Por isso, quando vou usar um termo para definir qualquer coisa...

Tudo pelo sorriso

Outro dia li um criacionista dizendo que os dentes são a maior prova do Design Inteligente (para quem não conhece, tese que tenta dar...

Dr. Google

Existe uma classe que deve odiar a democratização da Internet. A classe médica. O vício de fuçar tudo na net pra nós bate como...

O banquete tropicalista de Guto ‘inquieto’ Goffi

— Entusiasta da fotografia, o baterista Guto Goffi tem uma faceta pouco conhecida do grande público. Há cerca de 15 anos vem produzindo uma...

Envelheça, vivendo

Certa vez li isto em algum lugar: "Para envelhecer bem, é preciso ter vivido bem." Quando li, confesso que não estava muito preocupada com...

Estação Consolação

Metrô lotado. Mal consigo me segurar. Mas nem preciso, não há espaço para cair. Gosto de olhar as pessoas nessas situações. As pessoas são...

Chapeuzinho Vermelho e o verdadeiro lobo mau

Em tudo, me desculpem, tem ideologia. Mesmo quando a pessoa nem sabe o que é ideologia, ela a possui. Possui porque ideologia está entranhada...

‘Espelho, espelho meu, existe alguém mais bela do que eu?’

Quem de nós não se deparou com esta frase durante a infância, em meio a contos e histórias que nos eram contados? O incentivo...