Will Magalhães lança novo Single Instrumental

William de Magalhães é guitarrista, mineiro, violonista e produtor musical. Radicado no Rio de Janeiro desde 2014, cursou técnico em violão erudito pelo Conservatório Municipal “Heitor Villa-Lobos” e estudou violão popular na Bituca – Universidade de Música Popular, escola apadrinhada por Milton Nascimento, ambos em Barbacena, MG. Desde 2009 se dedica à música instrumental, numa busca pela liberdade de interpretação, criação, aprendizado e linguagem, através de pesquisa profunda de repertório.

Entre os meses de julho e agosto de 2019, realizou o primeiro tour internacional, fazendo concertos na Alemanha, Holanda e Itália. Atua nas cenas musicais mineira, carioca e paulista, fazendo shows instrumentais e acompanhando artistas, do jazz à MPB, passando pelo universo do samba e do pop. Já dividiu o palco com alguns reconhecidos músicos brasileiros, dentre eles: Nema Antunes, Erivelton Silva, Marcelo Martins, Gabriel Grossi, Ricardo Silveira, Marco Brito, Fernando Caneca, Gastão Villeroy, Téo Lima e Marco Lobo.

Nos dias de hoje, dedica-se à produção de seu primeiro trabalho audiovisual autoral e instrumental, chamado “Horizonte Sessions”, onde divide o estúdio com os músicos Breno Mendonça (sax), Aloizio Horta (baixo) e Gladston Vieira (bateria).

Dudu é a primeira composição instrumental gravada do guitarrista Will Magalhães. Foi composta em agosto de 2019, na cidade de Altamura/Itália, nos últimos dias de sua turnê européia.

Inspirada na vivência do compositor, Dudu é um acalanto que se permite desenvolver melodicamente como uma história de vida, de esperança, culminando num samba recheado de swing, permeado por fortes interpretações. É uma autêntica música instrumental brasileira, com harmonia moderna, banhada pelo sambajazz e influenciada por grandes mestres do gênero.

A música foi gravada ao vivo, sem overdubs, e faz parte de um projeto audiovisual idealizado pelo guitarrista, chamado “Horizonte Sessions”. É uma produção de Will Magalhães e Breno Mendonça, registrada em setembro de 2019, por Rafael Dutra, no Estúdio Motor, em BH; com Aloizio Horta no baixo, Breno no sax, Gladston Vieira na bateria e Will na guitarra, mixada e masterizada por César Santos. O nome é uma homenagem ao seu sobrinho, Dudu, com o qual tem uma intensa e feliz história de transplante hepático intervivos.

Ouça https://www.youtube.com/watch?v=6fwRHSSKiS0 

Foto divulgação

O novo sempre vem! Viva a Cena Independente!