Toque de Arte faz um bis da live em homenagem ao musicista Magro do MPB4, neste domingo 

Toque de Arte faz um bis da live em homenagem ao diferenciado musicista Magro, neste domingo 

Instrumentista completo, Magro fez carreira no MPB4 e teve seu talento compartilhado por artistas como Chico Buarque, Toquinho e Vinicius

Em mais uma homenagem e reverência ao amigo eterno, o músico Antônio José Waghabi Filho, mais conhecido como Magro, que faleceu em 2012, mas até hoje presente na música, o Toque de Arte, realiza, neste domingo, 28 de novembro, às 19h, uma segunda live com momentos emocionantes vivenciados ao lado do mestre dos vocais. O sucesso da primeira apresentação, realizada em abril deste ano, faz o grupo voltar ao palco, como num grande bis, com muitos sucessos musicais, com a inclusão de arranjos não mostrados na Live anterior, num novo show, a ser visto no canal oficial do artista, “Toque de Arte Oficial”, no YouTube.

“Magrão: Um Toque de Arte no Samba Vocal” é para todas as pessoas, sem quaisquer distinções de classe, idade, gênero, etnia, escolhas religiosas ou políticas, proporcionando diversidade e inclusão aos participantes. Um show para curtir dentro de casa e fazer aquele anoitecer do domingo se transformar em um momento de lembranças, com muita música popular brasileira boa de ouvir e cantar.

Maestro, cantor, instrumentista completo, compositor e arranjador, Magro teve sua carreira delineada nos 47 anos em que integrou o Grupo MPB4. Mas com seu enorme talento viajou também por discos de vários outros artistas como Chico Buarque, Toquinho, Vinicius, Tunay, Simone e também do Toque de Arte, o qual trouxe a sua vocalização para o samba, dando continuidade a trabalhos já consolidados de artistas vocais como o Bando da Lua, o próprio MPB4, e mais atualmente o Arranco de Varsóvia.

O Toque de Arte é um grupo de samba composto por quatro integrantes: Marcelo Eloi (produção musical, voz, percussão e guitarra); Marcio Costa (voz e violão); Fernando Regis (voz e cavaco) e Leandro Vasques (voz e contrabaixo), e possui uma identidade vocal bastante diferenciada, pois realiza uma execução musical de alta qualidade, inserindo uma vocalização dentro do ritmo tão brasileiro que é o samba, tornando suas apresentações um misto de batucada e coral, o que resulta em um som ímpar.

“Magrão, como é carinhosamente conhecido, foi o nosso guru, nosso mestre e queremos que o seu conhecimento, que foi compartilhado conosco, seja para sempre lembrado e transmitido para outras gerações. E por isso estamos aqui novamente, homenageando um dos maiores arranjadores vocais que o Brasil teve a oportunidade de conhecer”, fala, Marcelo Eloi.

No show proposto, o Toque mostrará um repertório rearranjado de clássicos do samba, passeando por Martinho da Vila, Jorge Aragão, Chico Buarque e até Alceu Valença, e contará também com depoimentos de pessoas relevantes na vida do quarteto com o maestro, como Chico Buarque, Miltinho e Aquiles (MPB4), e de sua esposa Monica Waghabi. O projeto realizou-se por meio da “Lei Aldir Blanc de Emergência Cultural.

Depoimento transcrito de vídeo de Chico Buarque

“Faço questão de participar dessa homenagem ao meu amigo Magro, do MPB-4. Waghabi! Grande Magro!

Nós nos conhecemos em 65, por aí, éramos todos jovens, todos muito bonitos, e o MPB-4 já vinha trabalhando profissionalmente a um pouco mais de tempo do que eu. Então eles me acolheram no grupo, fizemos muito shows juntos, e o Magro foi o meu arranjador, posso dizer que foi o meu primeiro arranjador. E ele tinha um grande talento, como músico todos sabíamos disso, todos conhecíamos seus arranjos pro próprio MPB-4, arranjos vocais e tudo mais, mas no meu caso ele tinha um interesse muito grande em ser fiel ao que eu queria. Eu ainda era quase analfabeto musicalmente, e ele sabia exatamente o que eu queria dizer, lá onde eu não podia explicar tecnicamente o que era. Ele sabia o que era! E meu primeiro disco com ele foi fundamental pra minha carreira, o Magro como arranjador do meu… acho que do meu segundo LP. Olha, um grande abraço pra todos os amigos do Magro!”

Chico Buarque de Hollanda – 08/03/2021